Páginas

PESQUISAR

sexta-feira, 23 de fevereiro de 2018

MARCO DE TOUROS - DÁ PRÁ RECUPERAR O QUE É NOSSO?

Por Jaécio Carlos
O historiador potiguar Lenine Pinto escreveu um livro mostrando que o Brasil foi descoberto em Cabo de São Roque, litoral do Rio Grande do Norte em janeiro de 1500. Os portugueses da esquadra de Cabral, com 90 homens a bordo, chantaram (fundaram) um marco para marcar o acontecimento e o colocaram na Praia de Touros. Esse monumento está lá e é visitado por turistas e curiosos em conhecer a verdadeira historia do descobrimento. Em comentário feito pelo jornalista Alexandre Garcia, ele, certa feita, perguntou ao governador, da época, Garibaldi Filho, se ele sabia disso, no que ele respondeu que sim, sabia. Alexandre perguntou por que ele não havia tomado a decisão para esclarecer o fato e requerer o direito do RN ser o lugar oficial do descobrimento e não Porto Seguro na Bahia. Garibaldi respondeu: “Eu não queria criar problemas com Antonio Carlos Magalhães”, na época governador da Bahia.
Não é de estranhar que o Rio Grane do Norte sempre foi benevolente com outros estados. A Ilha de Fernando de Noronha foi entregue de mão beijada a Pernambuco, Barreira do Inferno foi para Alcântara, no Maranhão, atendendo a um pedido do então presidente José Sarney e mais recentemente a Cosern foi vendida para a Iberdrola, empresa Espanhola. Ou seja, coisas nossas entregues aos outros, por obra e graça dos “governantes”. Cadê a cidadania? A essas ações deveríamos ser consultados, se tivéssemos alguma importância.
Na época da 2a guerra mundial os italianos doaram para nós a Coluna Capitolina, presente do ditador Benito Mussolini. Esse monumento está no páteo do Instituto Histórico e Geográfico do RN, na Praça André de Albuquerque, na cidade alta, ao lado da Igreja matriz, antiga Catedral. Não sei como ainda não foi “vendida” ou doada a algum estado. Isso é o pouco que a gene sabe. Há muito mais coisas “por baixo dos panos” como diz Ney Matogrosso na sua música. Por exemplo: onde estão nossos minérios? O estado é riquíssimo nesse setor, mas os governos têm algum compromisso para escondê-los. Está na hora da gente cobrar dos candidatos ao governo do RN o que eles pensam disso. Cobrar atitudes, propostas, enfim, fazer com que o RN volte a ser desenvolvido e dê trabalho e renda ao nosso povo, tão enganado nesses últimos pleitos.
Dá pra recuperar o que é nosso? Claro que dá. Vamos mostrar nas escolas, aos nossos filhos e netos, o que temos de importante e o que nos resta fazer. Mas para isso é preciso coragem e determinação. Podemos reconstruir o RN. Se quisermos ter um futuro melhor, com dignidade e formação.
Jaécio Carlos – Produtor e apresentador dos programas Café da Tarde e Tribuna Livre, para Youtube.
Ponto de Vista