Páginas

PESQUISAR

sábado, 2 de fevereiro de 2019

Davi Alcolumbre é eleito presidente do Senado com 42 votos


Escolha foi adiada em um dia em decorrência de discussões e brigas que tomaram o plenário durante abertura do ano no Legislativo

Em uma eleição recheada de polêmicas, Davi Alcolumbre foi eleito presidente do Senado Federal, com 42 votos, para os próximos dois anos. A votação teve início no começo da tarde deste sábado (02). Os parlamentares acataram uma decisão do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, que determinou que o pleito deveria ocorrer por meio de votação secreta.

Na sexta-feira (01), dia de abertura dos trabalhos no Legislativo, a maioria dos senadores votou por uma eleição com voto aberto. No entanto, a decisão de Toffoli, que ocorreu durante a madrugada pegou os parlamentares de surpresa. Em protesto, alguns senadores falaram seu voto ou mostraram as cédulas durante o processo de escolha.

Os senadores Major Olímpio (PSL-SP), Alvaro Dias (Podemos-SP) e Simone Tebet (MDB-MS) retiraram a candidatura em favor de Davi Alcolumbre. O principal oponente dele na disputa, Renan Calheiros, retirou a candidatura. Ele ficou incomodado com parlamentares que decidiram abrir seu voto. A renúncia ao pleito ocorreu após fala de Flávio Bolsonaro.

Aos 41 anos de idade, Davi e filiado ao Democratas, Ele já foi vereador em Macapá e deputado federal até 2010 pelo estado do Amapá. Em 2013, ele foi investigado por supostas ligações com o doleiro Fayed Trabouli, durante diligências relacionadas a um escândalo sobre desvios de dinheiro de fundos de pensão.

Na época, ele admitiu ter mantido conversas com Fayed. Mas disse que não tratou de assuntos financeiros. A continuidade das investigações foi barrada pelo Supremo Tribunal Federal (STF) no ano seguinte. A Corte anulou interceptações telefônicas feitas pela PF.
Touros1501 com informações do Correio Brasiliense