sexta-feira, 15 de março de 2019

Basílica de São Francisco de Assis: do inferno ao paraíso

O lugar onde o santo dos pobres quis ser sepultado
Visitar a Basílica de São Francisco de Assis, na Itália, é uma experiência inesquecível. Talvez porque ela seja rodeada de paisagens espetaculares ou porque, nela, a gente sente a presença do santo em cada canto.

A igreja foi tombada como patrimônio da humanidade pela Unesco e está construída no mesmo local onde o santo quis ser sepultado: uma colina que, na época medieval, era chamada de Collis Inferni (Colina do Inferno), pois ali eram enterrados os corpos dos condenados à morte. Depois de ser colocada a primeira pedra para a construção da basílica, a colina foi rebatizada de Collis Paradisi (Colina do Paraíso).

A igreja começou a ser construída em 1228 ( depois da proclamação de santidade de Francisco de Assis) e foi concluída em 1253, graças às doações que chegavam do mundo todo.
A Basílica é uma fusão de estilos arquitetônicos romântico e gótico. São dois níveis: o superior está enriquecido com importantes afrescos, entre eles, as 28 cenas que contam a vida de São Francisco e que foram pintadas por Giotto.

Já a basílica inferior é mais escura e silenciosa, um convite à meditação. E nao poderia ser de outra forma, já que lá está a cripta com os restos mortais de São Francisco.

Diante da tumba há uma lâmpada que sempre fica acesa. Quem visita o local, pode acendeu uma vela e escrever uma oração ao santo.
Também é importante visitar a capela das relíquias, onde está o hábito do santo, suas sandálias, o texto da Regra Franciscana, entre outras.
Com informações da Aleteia

INÍCIO