sexta-feira, 24 de maio de 2019

Estudante redefine trajetória de vida após Curso Técnico em Meio Ambiente


Oriunda da Zona Rural, Maria Geysiane trabalha na Caern e faz o curso de Engenharia Ambiental

O pai de Geysiane trabalhou no Campus onde a
estudante iria se formar. Foto: Nice Bertoldo
Por RICARLA NOBRE|Reitoria IFRN
Da zona rural para desenvolver a área de meio ambiente no estado: a trajetória de Maria Geysiane Nascimento em busca de educação de qualidade começa cedo. Para frequentar a escola quando criança, Geysiane caminhava três horas a pé para pegar o ônibus até a cidade. Acompanhada e incentivada por seus pais, a estudante conta que em meio às dificuldades desde a infância, descobriu algo novo: “passamos por grandes problemas, mas foi através disso que descobri a necessidade de buscar e ir além. Vi o esforço dos meus pais e, deste então, tento retribuir através do estudo e esforço para seguir em frente”.

Hoje, aos 20 anos de idade, ela é técnica em Meio Ambiente pelo IFRN Campus São Paulo do Potengi, curso que lhe proporcionou o espaço profissional que ocupa hoje, trabalhando na Caern. Geysiane se identificou tanto com os conhecimentos construídos durante o curso técnico integrado que, além de atuar diretamente com a área, foi atrás de mais qualificação: hoje ela também faz o curso de Engenharia Ambiental na UFRN.

“Meu primeiro contato com o IFRN foi quando cheguei à cidade de São Paulo do Potengi, aos sete anos, durante a construção do Campus do IFRN lá”, conta Geysiane. “Meu pai começou a trabalhar nessa construção e eu sempre levava a marmita dele e, mesmo sem ter a menor ideia do que se tratava, fui criando uma curiosidade grande por aquela estrutura nova. De acompanhar tudo isso, nasceu um sentimento de pertencimento. No nono ano realizei uma apresentação lá no Campus e vi a foto do meu pai no telão ajudando na construção. Nunca esquecerei. Até então, eu não tinha ideia que ia estudar lá, mas aquilo foi o pontapé para que eu tentasse fazer parte do Instituto”, disse. Após duas tentativas, a jovem estudante consegue aprovação no curso Técnico em Meio Ambiente do IFRN/SPP, “eu já estava cursando o segundo ano na Escola Estadual, e não pensei duas vezes; voltei dois anos para cursar no IF e não me arrependi”, revela.

Mudança de vida
Após sua aprovação, Maria conta que se encontrou rapidamente no Instituto. O curso no qual foi aprovada, como parte da área ambiental, que é sua preferida, facilitou adaptação ao ensino da Instituição: “o IF tem um ensino diferenciado do que estamos acostumados a ver em outras escolas. Me adaptei rápido e descobri logo uma grande paixão nas aulas; o laboratório. Desde então foi o meu refúgio lá dentro”, disse. Por dedicar muito tempo aos laboratórios, a estudante foi apelidada pelos professores de ‘rata de laboratório’, e por meio de tal dedicação, seu envolvimento com as atividades de pesquisa e extensão só aumentou. “Participei de muitas pesquisas, fui bolsista de extensão, viajei e conheci muitos lugares. Hoje, levo o que aprendi como pessoa e profissional”.

Em 2018 Geysiane concluiu o curso. Atualmente, empregada na área ambiental da Caern, ela atribui o sucesso aos diferenciais da educação de qualidade ofertada: “Estou empregada na minha área graças ao IF. Nós ex-alunos do Instituto que estamos no mercado notamos os diferenciais dentro da empresa; somos vistos com outros olhos. O preparo que o IFRN nos oferece é algo incomensurável. Entrei uma pessoa e saí outra”. Desde a sua formação, a ex-aluna nota mudanças em sua família e na comunidade, “minha experiência no IF não mudou apenas a mim, mas a meus pais e à cidade de São Paulo do Potengi que, após a formação de técnicos, passou a mudar para melhor. Nos envolvemos para tentar melhorar nossa comunidade, por que tudo que a gente aprende no IF é devolvido à sociedade; não ficamos presos, saímos espalhando conhecimento”, afirma. Entre as mudanças na localidade apontadas por ela, está o estabelecimento de secretário do Meio Ambiente e da vigilância sanitária municipal.

Conquistas
A garra e a busca por conhecimento de Geysiane não cessaram, a jovem compartilha sua recente aprovação no curso de Engenharia Ambiental da Universidade Federal do Rio Grande (UFRN) com alegria: “Fui aprovada na UFRN pelo Enem e estou muito feliz. Isso é resultado da preparação que obtive quando aluna do IFRN. Existem muitas oportunidades que os professores nos dão, esse é um dos principais destaques da instituição; você sai dela mas ela não sai de você. O professor nos dá asas, você voa se quiser”.

Ela ainda acrescenta que, apesar de presenciar e viver dificuldades de deslocamento, alimentícias e financeiras, se manter adquirindo conhecimento é possível. “A priori achei que não conseguiria me manter frequentando as aulas por condições financeiras, mas fui até a assistente social do IFRN e eles sanaram meus problemas com rapidez e eficiência. Esse apoio existe”, ressalta.

O recado que a educanda deixa é um incentivo à persistência, “estou aqui contando minha história, que não foi fácil, para ressaltar que além de qualquer dificuldade você é capaz. Assim que a gente coloca o pé dentro do Instituto Federal, temos a obrigação de aproveitar as oportunidades e ir em busca. A educação de qualidade vai oferecer muito ao aluno, o que importa é querer”, conclui.​