sábado, 27 de julho de 2019

Contas de luz de agosto terão bandeira vermelha, diz Aneel

Determinação, motivada pela falta de chuvas no país, elevará o preço para o consumidor em R$ 4 a cada 100 quilowatts-hora consumidos 
Foto: Pexels/EBC
A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) anunciou nesta sexta-feira (26) que as contas de luz do país serão reajustadas com a bandeira tarifária vermelha, com custo de R$ 4 a mais para cada 100 quilowatts/hora consumidos (kWh).

A agência explica que agosto é um mês típico da estação seca nas principais bacias hidrográficas do Sistema Interligado Nacional (SIN) e a previsão de chuvas para o mês é de índices abaixo da média histórica. "Esse cenário requer o aumento da geração termelétrica, o que influenciou o aumento do preço da energia e dos custos relacionados ao risco hidrológico", explica a Aneel. 

Em julho, a bandeira tarifária em vigor era a amarela, com taxa extra de R$ 1,50 a cada 100 kWh. Em junho, as tarifas estavam com a verde, sem custo adicional para o consumidor.

Criado pela ANEEL, o sistema de bandeiras tarifárias sinaliza o custo real da energia gerada. As cores verde, amarela ou vermelha (nos patamares 1 e 2) indicam se a energia custará mais ou menos em função das condições de geração.

O mês de maio marcou o aumento no valor da conta de luz. Isso porque entrou em vigor a bandeira tarifária de cor amarela.  Com isso, as tarifas de energia terão um custo adicional de R$ 1 a cada 100 quilowatts-hora consumido. Pensando nisso, o especialista Sérgio Levin, engenheiro eletricista do Ibape/SP, orienta o melhor uso de eletrodomésticos como geladeira, chuveiro, máquina de lavar, televisão e ar-condicionado, buscando reduzir o gasto na conta de luz em até 70%.