segunda-feira, 5 de agosto de 2019

EUA sofre dois ataques de atiradores em menos de 24 horas; pelo menos 29 morreram

Os Estados Unidos registraram dois ataques de atiradores nas últimas 24 horas. O primeiro tiroteio aconteceu em uma loja da rede Walmart em El Paso, Texas - e foi seguido por outro tiroteio em frente a um bar na cidade de Dayton, Ohio. Juntos, os dois incidentes deixaram ao menos 29 mortes, e dezenas de outros feridos. 
Imagens de câmeras de vigilância supostamente do atirador reproduzidas pela imprensa americana mostram um jovem de camiseta escura com protetores auriculares brandindo um fuzil.
Além disso, os incidentes deste fim de semana também acontecem menos de uma semana depois do tiroteio em um festival gastronômico na Califórnia, quando três pessoas perderam a vida.

No caso de El Paso, ao menos 26 pessoas ficaram feridas. O ataque aconteceu em uma loja do Walmart próxima ao shopping Cielo Vista Mall, a poucos quilômetros da fronteira entre os EUA e o México. 
Por BBC
O sargento da polícia de El Paso Robert Gomez informou que um homem branco na faixa dos 20 anos foi detido sob suspeita de ser o atirador.

De acordo com a imprensa americana, ele seria Patrick Crusius, de 21 anos.

Os primeiros relatos de que havia um incidente no Cielo Vista Mall apareceram por volta das 11h do horário local (14h no horário de Brasília). A polícia afirma ter recebido informações de que havia um tiroteio tanto no shopping quanto na loja da rede Walmart, que fica logo ao lado. 

A polícia local e o FBI agora investigam se o tiroteio está relacionado a um "manifesto" nacionalista branco que foi compartilhado em um fórum online, e que teria sido escrito pelo atirador. O texto afirma que o alvo do atentado era a comunidade hispânica local.

O presidente norte-americano Donald Trump disse que o tiroteio foi "um ato de covardia".

"Eu tenho certeza de que falo por todos neste país ao condenar o ato de ódio cometido hoje. Não existem razões ou desculpas capazes de justificar a matança de pessoas inocentes", disse ele no Twitter.

O presidente do México, Andres Manuel Lopez Obrador, disse que três cidadãos mexicanos estão entre os mortos.